Terça-feira, 29 de Maio de 2007
...


zurzido por j-adn às 13:53
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:50
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:49
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:46
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:45
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:39
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:36
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:32
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:31
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:28
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:27
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:25
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:24
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:23
linker | teorizar |
|

...


zurzido por j-adn às 13:14
linker | teorizar |
|

Segunda-feira, 28 de Maio de 2007
banda sonora

O silêncio. O direito ao silêncio.
O porquê dos phones? Porque muitas vezes o ruído envolvente é insuportável, e ao ser obrigado a escutar sempre algo, que ao menos esse algo escolha, elija, aceite.
Das terriveís baladas de centro comerciais...
ao som dos travõs do metro, ás buzinas, á sujidade das chamadas em espera, ás batidas como pregos que saltam dos phones do oleoso chaval que acaba de entrar.
Desço a rua com Leonard Cohen, passo entre Bilbau e San Bernardo com Tom Waits, como uma sandes com Miles Davis. Paguei eu a conta, o Charlie Parker não tinha dinheiro.
Encontro Carla Bruni atrás de uma bilheteira ferrujenta, em conversa libidinosa com Jorge Palma que nos confidencia sentir ciúmes de Jacques Brel e de Nina Simone.
- É normal, grita Jeff Buckley enquanto desmaia ao som de Hallelujah.
Passa ao largo Vinicius de Moraes enrolando uma partitura que mais tarde fumará com Caetano, trocando telefones com Zeca Afonso e Billy Joel que
avançam alcatrão fora ao leme de um barco ao som de "My name is nobody" de Enio Moricone em mais um épico de Henry Fonda e Terence Hill.

The End.

zurzido por j-adn às 13:40
linker | teorizar | vizualizar o comentarismo (4) |
|

Domingo, 27 de Maio de 2007
Apesar de ser a maior plataforma mundial de blogs ...
Apesar de ser a maior plataforma mundial de blogs e respectivos sub-sistemas, o blogger demonstrou sempre ao longo da sua vida uma mediocre coerência. Nunca surpreendendo pela positiva, fica assim este almanaque sujeito a alterações e erros diversos.
Ao buscar alternativas, consulto as nova ferramentas do sapo, ponderando migração para essa plataforma nacional, sabendo no entanto que o ódio visceral que me inunda ao universo lobbysta PT condiciona a pifía decisão.

É provável que mais cedo ou mais tarde, assim a lua alinhe com saturno, este almanaque mude de poiso.

zurzido por j-adn às 15:14
linker | teorizar | vizualizar o comentarismo (3) |
|

Quarta-feira, 23 de Maio de 2007
Neno e o milagre das redes

Neno é alvo de devoção por parte de um grupo de quase uma centena de pessoas de Santarém, os "Devotos de Neno", cuja "fé" nasceu quando o guardião ficou preso nas redes de uma baliza e deslocou somente o maxilar. Um milagre, dizem. Equiparando-o a um Deus e baseando-se na igreja católica, celebram o Nenatal no dia 27 de Janeiro, aniversário de Neno, que nesse dia recebe anualmente "um sem número de telefonemas" dos seus fiéis. "De há uns anos a esta parte isso tem vindo a acontecer, mas nos dois últimos assumiu uma maior dimensão. É gratificante ver que pessoas que nem conheço reconhecem o meu trabalho. Já lhes prometi que irei visitá-los, para conviver um pouco com eles. Talvez no próximo aniversário".
In "O Jogo Online"

"É gratificante ver que pessoas que nem conheço reconhecem o meu trabalho."
Mas qual trabalho!? O trabalho de se pendurar pelos dentes numa rede?

Aqui fica a morada do fã clube;
www.devotosdeneno.blogspot.com

zurzido por j-adn às 14:49
linker | teorizar |
|

Terça-feira, 22 de Maio de 2007
por menos que isto a padeira foi aos cornos aos outros

O espanhol é um bicho por natureza barulhento. O espanhol quando á solta fora do seu habitat natural, (por exemplo em Lisboa) torna-se ainda mais ruidoso.
A experiência de percorrer as ruas da capital alfacinha dentro de uma viatura com um espanhol como co-piloto, roça a demência de um domador de ursos fechado dentro de uma jaula plena de jacarés.
Não há Rádio Orbital ou qualquer rádio afim em que as batidas africanas, ou o pop dos anos 90 seja rei, que passe sem cantorias no volume máximo possível do cantante automóvel. Isto durante horas a fio mes amis, e qualquer Tony Carreira soa como bálsamo aos pavilhões auriculares.
Enquanto fuma hectares de nicotina de janelas fechadas, atira o braço á buzina do condutor logo que avista fêmeas por entre a névoa de fumo. Porquê? Porque em Espanha é assim, diz-me o grunho qual trolha de andaimes montado em fato e gravata.

Posto isto, um individuo avalia várias vezes qual o grau de ferimentos causados ao atirar um passageiro em andamento da viatura, mas, um individuo conscencioso, conclui igualmente que agressões e escoriações multiplas á entidade patronal é coisa que não cai bem no curriculum vitae.

zurzido por j-adn às 15:17
linker | teorizar |
|

Segunda-feira, 21 de Maio de 2007
Qual a melhor prenda de anos? Mais anos. Sem dram...
Qual a melhor prenda de anos? Mais anos.

Sem dramatismo, ver o se ficar apenas em se, remonta-me ao básico da existência.

A Ti muito obrigado.

zurzido por j-adn às 14:39
linker | teorizar |
|

american classics


american classics

zurzido por j-adn às 14:32
linker | teorizar |
|

Quarta-feira, 16 de Maio de 2007
conversa de bancada

Fernando Negrão não parecendo á primeira vista, é bem capaz de ser a jogada mais melhor boa epá cum catano, fónix é memo bem esgalhada pelo PSD, para concorrer á CML. Quem melhor para pôr fim á corrupção e devolver credibilidade que um ex-director nacional da Policia Judiciaria? Ai o problema é a corrupção? Manda-se para lá um xota! Vai tudo á bastonada!

Mister Mendes; Mesmo que não ganhe com este jogador (muito provável), não perde Sintra, e ao apostar num valor quase desconhecido, tanto se pode revelar em mais um flop, como na descoberta de um novo Miguel politico. Perdendo ninguém imputa responsabilidades ao mister, pois no estado em que estava o jogo pedir mais seria impossivel, ganhando será reconhecido como grande estratega e caça-talentos.

Um Fernando Chalana da politica, portanto.

Bem jogado miúdo!

zurzido por j-adn às 12:50
linker | teorizar |
|

Terça-feira, 15 de Maio de 2007
breve boletim
Parque do Retiro - 16 horas - um calor egipcio

Gente sem camisola e em trajes banhistas espalha-se relva fora como se de o areal da Nazaré se tratasse. Há rádios e piqueniques, cães e bolas. Há tudo aquilo que é mau na praia. Falta tudo aquilo que é bom. Não há mar para mergulhar nem barulho das ondas para adormecer. Resumindo; uma merda.

zurzido por j-adn às 14:43
linker | teorizar |
|

o povo é sereno


zurzido por j-adn às 12:57
linker | teorizar |
|

Segunda-feira, 14 de Maio de 2007
...depois da RTP Memória, www.youtubememoria.blog...
...depois da RTP Memória,

www.youtubememoria.blogspot.com

zurzido por j-adn às 15:51
linker | teorizar |
|

é um bocado isso é

O mal de ler autores daqueles com A grande, é a azia que nos provoca no estômago. A impotência de nos sabermos incompetentes perante tamanhos tratados de ortografia que de tão boa deveria ser proibida por ser consequentemente pornográfica.
Inclusivamente citá-los chega a roçar (com a pélvis) o grotesco, pois de alguma fora alvitra ares de importância guardar tamanho testemunho entre unhas. Quase temos (repare-se na esquizófrenia do autor que continua a utilizar nós quando se refere na realidade apenas a um individuo) vergonha de os comentar alto e bom som em praça pública sob pena de acusações de auto-enrequecimento pancreático fácil. Novo riquismo mesmo. Pancreático, pois como é sabido nas culturas amazónicas do Douro, este tipo de essências deposita-se no pâncreas para uso posterior. Como vinhaça em tonel de madeira que vai largando as borras no fundo.
Em overdose a pedir internamento, intervalo Dosteyevsky com Herman Hësse e meio quilo de massa tipo paralelipipedo de ontem ao almoço, deixando Kafka para o jantar pois conforme experimentei cai melhor com pataniscas. Sem pretensões marcelerianas pois nem sequer tirei o relógio, limito-me a tentar dedicar todo o tempo tecnicamente disponível que essa gente me merece. Incluindo tempo de retrete. Quality time portanto que vai para o galheiro, em detrimento das viagens de auto-descoberta de Siddharta e do niilismo infâme de Raskolnikov mais todo a corja processual de Josef K.

* posta escrita com a intênção de me pintar mais culto do que realmente sou e assim tentar enganar alguém que possa aqui vir ao acaso e ficar impressionado ao ponto de escrever para o malato e o gajo me convidar para o programa dele para assim me tornar um individuo nomeadamente conhecido na aldeia dos meus pais onde nem no cafe central sabem o meu nome. Parecendo que não são esses pequenos nadas que fazem a vida a um gajo.


zurzido por j-adn às 14:07
linker | teorizar |
|

Domingo, 13 de Maio de 2007
no mesmo bairro, mas numa rua totalmente diferente

.. e a coisa ficou mais ou menos neste termos, prometi-lhe um maço de notas de euros como prova de uma caução de renda. Dita caução supostamente será um garante que não deito as paredes abaixo. Parece-me pífio. Devidamente inspirado sei que seria capaz de arrúinar muito mais que 400 euros. Tão pouco as paredes me pareceram assim tão sólidas.

Obecendo á raça cigana que me corre nas veias, preparo-me para levantar ferro e ir dormir a outro leito. Seis meses inteiros num mesmo sítio parecem-me tempo suficiente para adjudicar mudança aos costados.

Do descritivo senhoril fiquei a saber que (se o negócio se concluir), passarei a partilhar espaço habitável com uma austriaca e dois espanhois. Apesar de ainda não conhecer os envolvidos na marosca, desde já me desagrada uma nacionalidade estar em maioria. Pode perfeitamente desencadear cantorias de música espanhola a plenos pulmões, enquanto nós imberbes visitantes fingimos real apreciação pelos "Oreja de Van Gogh" ou qualquer outra alegoría urbano-depressíva.

Partimos assim em desigualdade de meios e recursos. Tenho portanto menos de 2 semanas para aprender música popular austriaca, como meio de me apresentar a nível guerreiro-cantante e assim igualar a contenda. Calculo que essa Inga não esteja familiar com o trabalho de Zeca Afonso, muito menos dos Censurados. Espero sinceramente que nada disto meta aqueles gritos tipo José Figueiras ao barulho, pois se assim for mais vale esquecer a música e desatar logo á pêra.


zurzido por j-adn às 10:26
linker | teorizar |
|

Quinta-feira, 10 de Maio de 2007
Tiefschwarz LIVE @ Love Parade 2006 - Berlin

Tiefschwarz. Som no máximo possivel, antes das colunas distorcerem. Se houver phones á mão, óptimo. Dia 19 de maio actuam no Creamfields, é a principal razão para se comprar o bilhete. Selecção de faixas excelente, grandes sets sempre a dinamizar a assistência.
Entretanto o novo album de Chemical Brothers está quase nas lojas. Já andam também em tour e prevê-se que venham cá ainda este verão. O Festival Sudoeste era o palco perfeito, espera-se que na Música no Coração também pensem assim.

P.S.- Ricardo Villalobos dia 24 de Maio no Lux.



zurzido por j-adn às 12:34
linker | teorizar |
|

Tele Historia - Roque Santeiro



zurzido por j-adn às 00:46
linker | teorizar |
|

Quarta-feira, 9 de Maio de 2007
Madelleine
Não era minha intenção escrever nada sobre o assunto, dado principalmente o melindre da questão, mas o facto de ter recebido hoje cerca de 6 ou 7 e-mails apelando a informações sobre o paradeiro da pequena Madelleine, a criança inglesa desaparecida no Algarve, fez-me considerar alguns pontos.
Por ai na blogosfera, e em jeito de introdução, encontrei isto;

"No ano passado a recém nascida Andreia Pinto foi raptada de uma maternidade em Penafiel. Na altura não houve buscas, retratos-robôs, barreiras policiais, cães patrulha, Protecção Civil, bombeiros, missas, comunicados, conferências de imprensa da Judiciária e 150 homens a percorrem a pé as ruas de Penafiel. Só foi encontrada por causa de uma denúncia anónima mais de um ano depois.
O azar de Andreia foi não ter nascido inglesa de férias no Algarve."


Hoje no jornal " A Bola" era titulo do respectivo site o apelo de Cristiano Ronaldo e Paulo Ferreira, aos supostos raptores da Madelleine.

Vamos lá ver, não condeno de maneira nenhuma a sociedade civil portuguesa, pelo envolvimento no desaparecimento da criança, pelo contrário, assino por baixo toda e qualquer iniciativa que de alguma forma aumente as possibilidades de terminar com o horrível suplício daquela familia. Aquilo que particularmente me desilude, é que nunca antes vi esta mobilização por nenhuma criança portuguesa. Ou mesmo brasileira. Ou africana.
Porquê? Por não serem casos tão "interessantes" ?Por esses paises não serem economica e politicamente fortes? Porque como é certo e sabido a media é quem mais ordena? E neste caso concreto os interesses económicos andam de mão dada com os mediáticos?
Estará este envolvimento da sociedade portuguesa de alguma forma condicionado pelas futuras receitas do turismo britanico no Algarve? Quero pensar que não.
Uma vida de uma criança vale tanto sendo inglesa, cabo-verdiana ou chinesa. É uma vida. Espero sinceramente que a criança apareça, por ela principalmente, e pela familia.
E igualmente espero que da próxima vez que desapareça uma criança em Portugal, ouvir gente mediática envolvida (talvez desnecessariamente), que a media lhes dê a mesma cobertura, e que os e-mails voltem a ser ás centenas.

zurzido por j-adn às 13:27
linker | teorizar | vizualizar o comentarismo (1) |
|

recepcionista


torre do tombo

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

Support Amnesty International
blogs SAPO
RSS