Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008
morre com força

há coisas sagradas, intocáveis, partes do imaginário, independentes de atestados de qualidade, partes do crescimento.

Die Hard é assim; John Maclane é uma instituição.

Yppi kay ye motherfucker!

A partir do primeiro é esticar a corda, chegar ao quarto é assassinar a sangue frio todo uma babel de recordações, veneração do espirito  filme de acção dos 80´s.

Certo que os eighties estão na moda, mas há coisas que lá deviam ter ficado. Pegar-lhes, vê-las, recordá-las, não refazê-las.

Live free or Die Hard é a completa negação de toda a saga Maclane. Cenas inverosimeis, enredo confuso, argumentário pobre... una tremenda cagada coño.

 



zurzido por j-adn às 10:29
linker | teorizar |
|

recepcionista


torre do tombo

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

Support Amnesty International
blogs SAPO
RSS