Quarta-feira, 26 de Dezembro de 2007
muita calma ai a partir deste momento

 

Hoje connosco temos Julia Alzira,  75 anos,  aposentada dos correios, que nos fala da Cova da Piedade.

Julia  propõe-nos discorrer sobre as crises de personalidade na idade adulta.

Julia deu conta que desprezava a sua massa circundante, quando Alcides lhe roubou a placa em pleno almoço de convivio no lar Amigos da Sueca.

A sueca, Inga de seu nome como não podia deixar de ser, mulher travessa e dada aos prazeres da carne, varria almariada aldeias e aldeolas de homens e mulheres, touros e mulas, cardápios do seu museu.

Dizem que fugiu da guerra. Da Mundial, daquela grande com tiros e tudos. Granadas e bombas, que lhe trouxeram uma perna em madeira, a pobre. Aqueles latagões quase que matam a moça.

Moça que já não é moça entretanto.

Ora voltando, na optica da Dona Julia, torna-se tudo extremamente complexo, sabendo-se a si própria senhora  de gostos simples, com horas de missa e missal, não dada ás alegorias diversas da convivência humana.

- olhe isto tudo começou, como que um formigueiro tá a ver, assim a subir-me, a virem-me os calores tá a ver? Asssim, assim uma coisa sem explicação.!

- isso foi antes de Kant, ou depois de Schoppenhauer?

- A seguir a Nietzche e a dois queijos da serra.

- pois. vai ver que isso é azia. tome dois kompensans que isso passa.

- vamo lá ver.



zurzido por j-adn às 23:15
linker | teorizar |
|

recepcionista


torre do tombo

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

tags

todas as tags

Support Amnesty International
blogs SAPO
RSS